quinta-feira, 8 de julho de 2010

Nipónicas

"Comi tanto que no final até fiquei com os olhos em bico..." Autor desconhecido

Uma das minhas fantasias era estar com uma nipónica. Pesquisei na internet e descobri uma brasileira com Pai ou Mãe Japonesa e fui-lhe fazer uma visita.
Ligadela da praxe para saber os pormenores do convivio, a "prendinha" (valores envolvidos - €) e o local do embate. Ela estava em Braga, atendia num prédio para os lados da Makro e os valores eram os habituais.
Desloquei-me para Lamaçães e fui ter com a Deusa nipónica. Entro no apartamento e deparo-me com uma mulher alta, talvez 1.80m (estava de tacão), corpo esbelto, só com lingerie, com umas mamas grandes (e boas) e com um belo sorriso nipónico.
Dois beijinhos e fomos para o quarto. Despi-me, pedi para me ir lavar (não dispenso a lavadela) e regressei ao quarto, onde ela estava já nuinha à minha espera. Iniciamos com uns selinhos (em português uns chochos), uns pequenos amassos e uns breves apalpanços (mutuos).
De repente a nipónica começa a falar, a falar, a falar... e eu coloco o meu pau na boca (foi a unica maneira de não a ouvir mais). Que bem que ela mamava. Ora era suave, ora acelerava os movimentos. Umas punhetinhas, umas batidelas com a cabecinha do meu pau na lingua, nas mamas, na cara... que delicia.
Aproveitei para explorar a ratinha dela com um dedo inquisidor e reparei que estava já com alguma humidade. Coloco um segundo dedo e por fim não resisti mais e ataquei-a com a minha lingua. Era um regalo ouvir os seus gemidos. Passados alguns minutos tive que a mandar parar pois já me ía descontrolar...
Começamos a foder como dois coelhos, com ela d4 e a pedir que lhe desse umas valentes palmadas no rabo (coisa que eu nem gosto... lol), depois gritava para que lhe puxasse pelos cabelos e por fim pediu para que parasse de lhe puxar os cabelos pois entusiasmei-me e estava prestes a arrancar-lhe as extensões. He he he...
Saimos da cama e fomos para junto da janela. Ela colocou as mãos no parapeito e eu sempre a dar-lhe por trás. De seguida ela sentou-se em cima da cómoda e como ficou virada para mim, iniciamos uns longos linguados, que eram alternados com umas valentes lambidelas naqueles mamões.
Terminei com ela novamente d4 em cima da cama e eu de pé a enrabá-la vigorosamente, acompanhado de mais uns valentes puxões de cabelo. 5 estrelas.
Fui-me lavar, vesti-me, paguei o combinado, mais um linguado e até uma próxima.
Adorei esta nipónica e já estive com ela mais 5 vezes. Recomendo.

14 comentários:

  1. Nunca experimentei um nipónico... Mas a fama deles também não é grande incentivo.
    kiss

    ResponderEliminar
  2. Mi,
    Podias-lhe sempre dizer no final que o deixaste de olhos em bico...
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Tenta é uma nipónica que não seja a pagar. ;)

    ResponderEliminar
  4. Vontade de,
    O problema é o vicio. Isto é como o jogo, como o tabaco... como qualquer vicio. É dificil de controlar. Tenho o desejo e tenho que o saciar. Se me quiseres apresentar uma nipónica...
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Amélie Bouvié,
    És sempre bem vinda aqui à Toca.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. BEMMMMMMMMM k belos momentos vividos!!!

    Beijinho de lua*.*

    ResponderEliminar
  7. Segredo,
    Foram uns belos momentos, sem duvida.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. E o preservativo estava à mão?


    :) desejo

    ResponderEliminar
  9. gosto do ritimo do seu escrito. parecer crônica de jornal de domingo. legal.

    ResponderEliminar
  10. Hum... e aventuras gratuitas...vá...conta lá!
    ;)

    ResponderEliminar
  11. Desejo,
    O preservativo está sempre à mão. É obrigatório!!
    Raposa

    Duda,
    Obrigado, és sempre bem vinda aqui à toca.
    Raposa

    Marta,
    A próxima aventura que descrever foi sem pagar, OK?
    Raposa

    ResponderEliminar

O seu comentário é um previlégio aqui na Toca.
Obrigado.